Dita o quê?

Nesses últimos dias não se tem falado outra coisa nas rodinhas de Comunicação Social, especialmente nas de Jornalismo, e mais especialmente ainda, nas rodinhas de quem sabe o que foi a ditadura militar no Brasil. Tá eu sei, demorei um pouco pra escrever sobre isso, mas nunca é tarde, ok?!

Eu desde que tive conhecimento do que foi esse horror  de uma geração que sonhava e lutava por dias melhores num país melhor, nunca consegui entender como pode haver pessosas que não dão a mínima para fatos que existiram e ecoam até hoje na sociedade.

 A ditadura não foi só um período de “reestabelecimento da ordem pública”, ela foi a tentativa de calar a juventude, de impedir que  o deveria fosse feito por aqueles que realmente queriam fazer, foi um període de perda dos direitos humanos de defesa, período de torturas, prisões, estupros, agressões sem razão, enfim, foi o inferno na Terra, ou melhor, nesse pobre e lindo país.

Não veja, não fale... não pense!
Não veja, não fale... não pense!
Porém ningúem foi tão longe quanto a Folha de São Paulo ao chamar esse inferno de Dita”branda”, pelo amor de Deus gente! Onde é que está a cabeça desse povo quando escreve essas coisas??

A gente sabe que durante a ditadura os grandes meios de comunicação (Globo e Folha incluídas) não só apoiaram, como tratavam o período com outro nome, como se a ditadura não existisse, faziam isso para que a população aceitasse o que estava acontecendo e por trás disso patrocinavam tudo o que era feito contra os cidadãos “subversivos” da época.

Com o tempo esses grupos quiseram “apagar” o que fizeram, como se todo brasileiro não tivesse memória, sim, alguns não tem, mas outros tem e muito boa, boa o suficiente pra se dar conta do que aconteceu e do que está acontecendo, e nada mais é do que a banalização de toda história política daqueles jovens e trabalhadores que não tinha medo e enfrentavam oque tinham que enfrentar só pra poder dormir com a consciência limpa, é fazer com que tudo que aconteceu não foi “nada demais”.

Tá vendo? Isso não aconteceu tá?
Tá vendo? Isso não aconteceu tá?
Isso também não...
Isso também não...
Isso muito menos.
Isso muito menos.
Ditaduras são o pior momento político de um país, é quando o povo não tem voz, e se tiver logo leva um tapão pra se calar, é quando direitos são desrespeitados, é quando pessoas são expulsas de suas casas, de seu país, resumindo é quando um país deixa de existir democraticamente para ser aquilo que uma corja deseja.

Sinceramente, me dá vergonha quando vejo gente tão hipócrita a esse ponto! O que essa gente tem medo é que o povo reconheça e saiba da tua força, sim porque hoje a grande parte da população não sabe, mas um dia saberá, aí não vai ter jornalzinho nenhum capaz de enfrentar essa realidade.

O que o povo precisa não é relembrar o passado com nostalgia, lembrar de um tempo que já passou, o que o povo precisa é construir o futuro sem nunca esquecer de quem já tentou há 10, 20 , 30 ou 40 anos atrás.

Dita"branda"
Dita"branda"
Anúncios

6 comentários sobre “Dita o quê?

  1. Bru, fiquei tempones sem dar uma passada aqui, e, pelo que vejo você e Mari estão em uma briga boa. Quem será aloka benloca dos blogs? Haha.

    Adorei o texto!

  2. Oi, Bruna. Desde que entrei na faculdade de jornalismo vejo as coisas de outra forma, é normal isso, né? Hehe
    Adorei o post. Espero conseguir escrever criticamente assim um dia!
    Beijinho!

Solte o verbo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s