Agatha Christie

Agatha Christie é uma escritora britânica conhecida há anos como “Duquesa da Morte” ou “Rainha do Crime”, isso porque dedicou suas obras ao suspense, mistério e crimes, usando uma narrativa excelente daquelas que te prendem do começo ao fm do livro. Apesar de ser mundialmente conhecida e ter seus livros traduzidos nas mais diversas línguas, – eu não sabia disso, mas seus livros são os mais traduzidos no mundo só perdendo para a Bíblia e os livros de Shakespeare. -, só agora tive o prazer de conhecê-la através de 3 livros: “O Natal de Poirot”, “Assassinato no Expresso do Oriente” e “Cai o Pano”, graças a um box muito bonito que custou R$20, não pensei duas vezes: três livros por um preço desse tinha que levar! Que bom que pensei assim porque viajei nas histórias da Agatha.

Placa em homenagem à Agatha (Londres)

Comecei com “O Natal de Poirot”, onde conheci o principal personagem da autora, Hercule Poirot, um detetive muito intuito, esperto e cheio de técnicas infalíveis para desvendar qualquer crime. Um detalhe do livro que só fui entender depois, mas essa obra é dedicada à um cunhado de Agatha que dizia que nas histórias dela os assassinos estavam muito “refinados”, foi aí que ela escreve no início do livro: “Você queria um ‘assassinato dos bons, violento e cheio de sangue’. Pois esta é a história que escrevi especialmente para você”.

“Assassinato no Expresso do Oriente” conta mais uma vez com Poirot desvendando um crime, dessa vez um americano é encontrado morto numa das cabines do trem. Dos passageiros presentes a princípio não há relação nenhuma com o morto, mas ao longo das horas Poirot é colocado à prova com pistas falsas e descobre que há duas possíveis soluções para o crime. No fim, não dá pra saber qual a alternativa correta, já que em uma delas o assassino se “entrega” e em outra, um oficial que ajudava Poirot acredita ser outro assassino. Fica na imaginação de cada um, pois Poirot fez o trabalho dele.

O último caso de Poirot é descrito em “Cai o Pano”, que no Brasil teve como tradutora ninguém mais que Clarice Lispector, ok?! A história se passa muitos anos depois dos primeiros casos de Poirot, com o detetive já velho e debilitado de suas funções, por isso chama um amigo, Arthur Hastings, para ajudá-lo a desvendar mais um mistério: cinco assassinatos sem relação alguma já aconteceram e o assassino está hospedado no hotel onde o detetive está e tudo o leva a crer que mais um assassinato será cometido. Este é o último caso de Poirot, por que será? Só lendo para saber…

Agatha morreu de causas naturais em 12 de janeiro de 1976, aos 86 anos. Suas obras ficaram e ela ganhou mais uma fiel leitora, vou procurar mais de seus livros.

Anúncios

5 comentários sobre “Agatha Christie

  1. êêê!
    Minha amiga Jornalista começou a ter seus primeiros indícios de reconhecimento!!
    rs

    Ficou ótimo o post
    aliás, eles estão me fazendo aprender pra valer, viu?
    coisas da Agatha que nunquinha tinha ouvido falar…

    beijinho.

  2. Adoro a literatura misteriosa da Agatha. Boa dica, Bruna. Seria bom se o Poirot existisse, né? Ele é tão legal. Rsrs

Solte o verbo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s