Dois mil e quinze. Primeiro post.

Sim, 2015 já chegou. Sim, janeiro passou lentamente e achei que não ia acabar nunca mais e não, não acabei de escrever esse texto. Achei perdido no e-mail em uma tarde de devaneios no meio do trabalho e como ainda faz sentido, resolvi postá-lo. Aí vai… Ah, a propósito: olá, 2015! Não começou tão bem quanto eu imaginei, mas vamos ver onde isso vai dar, né? Quero acreditar que você não será tão filho da puta quanto vem se mostrando. ESTAMOS DE OLHO…

people_ahs“Gente que vale a pena”. Tô pensando nisso já algum tempo. E penso dos dois lados. Tanto das pessoas que valem a pena para mim, quanto se eu estou valendo alguma coisa para os outros. No ano passado, experiências agradáveis e outras nem tanto me mostraram que o tal do “valer a pena” estava sendo deixado de lado por mim e, novamente, dos dois lados. Por isso, comecei nos últimos meses de 2014, a tomar distância de muita gente e muitas coisas que já não valiam mais a pena. E acho que rolou isso também do outro lado. Gente que talvez não me achasse tão importante assim, também foi-se. No começo pode parecer meio triste e até chato, mas pensando bem, não é, não. Certas escolhas podem nos tornar um pouco mais solitários, mas um pouco menos dependentes também. Fico feliz que nunca tenha sido da turma que precisa de turmas para ser feliz. Andei grande parte da minha vida sozinha e sobrevivi até os dias de hoje (aos trancos e barrancos, mas ok). É legal estar com quem se gosta? Claro que é. Tenho poucos e bons desse tipo. Ufa. E é com esses poucos e bons que vou prosseguir. O texto está meio estranho, eu sei, mas é porque ainda não refleti muito sobre o assunto. E quando isso acontece, eu sou mais confusa que o normal. As palavras vieram à minha cabeça no meio do trabalho e eu meio que parei uns 10 minutos para escrever. É só para deixar registrado mesmo. Para eu voltar daqui alguns meses e ver se ainda mantenho o pé firme nisso. Creio que sim, porque teimosinha e cabeça dura eu sempre fui, né?

É inevitável não fazer resoluções de ano novo a cada janeiro, até mesmo para uma pessoa que como eu que já desistiu de consertar algumas falhas que vieram de nascença. Porém, para 2015 eu quero me cercar de gente e coisas que valham a pena. Acho que já perdi um bocado de tempo com aquilo que não servia para nada. Chega, né?

Post ao som de: Sublime – What I Got

Anúncios

4 comentários sobre “Dois mil e quinze. Primeiro post.

  1. que delícia ser seu texto, bruna! parece que é alguém muito próxima a mim. kkkkkk. de verdade, eu me senti sentada na mesa de um bar fazendo aquelas reflexões malucas de todo começo de ano. kkkkkkk. tô mais ou menos nessa sua linha pra 2015: eliminar quem já deveria e acrescentar gente boa. boa sorte na empreitada. 😀

    • Thiago, você acabou de me lembrar que preciso voltar a AHS! Assisti as duas primeiras temporadas viciadíssima, mas depois meio que fui esquecendo (tenho esse problema com séries =/). Até onde eu vi, curtia muito aquela insanidade toda. Hahahahaha. Vou baixar pra assistir nas férias.

Solte o verbo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s